Templates da Lua

Créditos

Templates da Lua - templates para blogs
Essa página é hospedada no Blogger. A sua não é?

sábado, 9 de dezembro de 2017

+ um conto

Conto: Familia Para: Gaby, Jaqueline, Andreza O balanço ia alto e o menino sorria mais forte cada vez que o balanço subia parecia uma festa; a garota que empurrava o balanço era Etienia e o menino era Otávio ainda eram crianças se divertiam pelo mundo a maior parte do tempo no campo. ETienia era uma mocinha bonita e esperta ela mesma tinha feito o balanço que agora brincava com seu irmão. Com três anos completados no São João daquele ano Otávio se encantava com tudo, mais sabia de alguma forma separa o joio do trigo. O sol alumiava aquela manhã que de boba com a cena ventava suave, fazendo as plantas e as folhas da arvore da mangueira se mexerem. A arvore onde foi colocado o balanço era velha tinha visto muita coisa foi debaixo daquela fruteira que as crianças junto com o pai e a mãe comemoraram a vitória do Brasil na final da copa do mundo de 2002 era domingo de uma manhã gostosa de inverno, lá também o pai das crianças chorou ao saber do impeachment da ex-presidenta Dilma tempo depois e onde sua esposa sorriu pela primeira vez depois que descobriu que estava gravida da doce Etienia. - Otávio vai chamar teu pai no curral pra gente comer o desjejum já faz um tempão que ele foi pegar leite da vaca. Falou da varanda Dona Penélope. - Deixa que eu vou mãe, que Otavinho ta fedendo a carniça ECA! a menina repondeu ao invéns do menino enquanto sorria do irmão - Mentira Mãe! Tudo dia eu me lavo com sabonert na cocachoeira1 falou o menino pra se defender. - Eu sei meu filho! -respondeu a mãe- vem cá então pra gente agua o jardim pra sos passarinhos vim cantar enquanto Etienia vai chamar Dijanilson pra noiz comer. A menina foi chamar o pai que a recebeu com um abraço puro; pra varia Nossa senhora da penha abençoou aquela família que viviv a longe de tudo perto do amor. Humberto de Maria 08/12/2017

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Conto feliz!

Conto: Jovem Tarde de Primavera Para: Gaby, Jaqueline, Presidente Temer, Papa Francisco “ as misericórdias do Senhor! eu cantarei. Eu cantarei” ( kely Patricica) O coletivo se ia devagar do centro da cidade até o outro bairro, olhando pela janela a moça pensava em paz, e sorria tão sem pressa um riso doce da cor da esperança. De bondade Deus deixava o sol um pouco menos quente pra tarde se passa bela até a noite vim. Ao chegar no bairro a moça foi pra casa do menino que fazia parte do grupo que rezavam pedindo a deus coisas pra humanidade toda semana na igreja, mais nessa tarde eles iriam se reuni pra se confraterniza e viver o bem que é ser de Jesus Cristo. Eram por volta de seis jovens que estava sobre as graças de Nossa Senhora da penha, se divertiam sem se preocupa com os despautérios da modernidade onde mais de 200 egípcios foram mortos em um atentado, coisas tristes, que ficam distantes deles porque servem a deus com louvor numa profunda melodia suave onde o bem parece musica e termina num sorriso. A moça com seus gestos e modo de falar parecia que dançava e envolvia o ambiente numa alegria boa de ser viver, o surfista ficava a olhar para moça sem que ela percebe-se e tentava de alguma forma falar alguma coisa pra chamar a atenção da moça bela como não conseguiu, ficou olhando seu sorriso que dançava pela tarde. Galera vamos assistir um filme de pirata? propôs Aguarmenom. Todos concordaram e passaram a tarde ea primeira hora da noite assistindo filme e comendo pipoca com coca&Cola. Humberto Filho 30/11/2017

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Conto de novembro

Conto: Menina Doce Sorria ao receber o abraço da doce menina; e de bobo esqueceu de dizer que a menina estava linda naquela noite primaveril onde o satélite natural da terra enfeitava o céu junto com um moi de estrelas brilhantes de varias cores. O mundo naquele instante celebrava os 500 anos anos do protestantismo e os 100 anos da revolução russa. Mais o escrito e a menina doce não se importava muito com isso; o escritor escrevia feito uma criança e a menina doce vivia pra ser feliz e fazer os outros felizes. O abraço se deu na capela do santíssimo onde o divino amor abençoava os jovens intercessores que de simples pediam graças pra o povo que Deus sempre amou. Ao vé isso, Nossa Senhora Mãe do menino Jesus, disse assim pra Cristo : -Que bom! Meu filho que o amor ainda é amado no brasil. Tudo depois foi bondade no mês de novembro. Humberto de Maria 10/11/2017

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

conto na primavera

Conto: Jovens Louvores Para: Gaby, presidente Temer, rainha Elizabeth II. A cidade permanecia bela, o Sol tal qual carinho bom, esquentava a terra que acordava sorrindo pra viver a manhã. por volta das 6:00 horas os jovens adoravam e louvavam o bom deus o Ressuscitado Jesus de Nazare! A vida era boa pra eles, Jesus e Nossa Senhora cuidavam para que nada de mau acontecer . e assim viviam sem se preocupa com nada sabiam que só Deus basta! Juscelyno era o mais novo daquela galera tinha 13 anos, todo domingo de manhã se reuniam na capelinha de Nossa Senhora da Penha, que ficava em um monte na praia da penha, passavam a manhã adorando Jesus hóstia santa. O vento balacavam os coqueiros enquanto cantavam musicas de louvores; ate uns passarinhos que estavam ali perto se arriscaram a cantam também as musicas que escutaram os jovens humanos cantarem pra Deus. Alycia sorria ao escutar a musica, e juscelyno sorria praquele sorriso. Depois de Jesus Cristo , o sorriso daquela garota era o que ele mais gostova. Quando deu meio-dia acabou adoração e Juscelyno desceu as escadarias da penha, e foi tomar banho de mar, a mare tava baixa, o menino pulou na agua e nadou e nadou foi 74 metros mar adentro, mais voltou a estava cansado. Sentada na areia da praia tomando agua de coco e olhando o menino Alycia sorria. Humberto filho 16/11/2017

sábado, 11 de novembro de 2017

Conto da madrugada

Conto: Vento, valsa primavera. Para: Leiliane shalom, Roberta Os olhos inocentes a baila pelos pares de adolescentes que felizes celebravam a vida no balie da primavera daquele ano; enquanto a musica era tocada no gramofone super potente. Cristhian Eduard e Elizabeth Thâmela pareciam que flutuavam tal qual a graciosidade que executavam os passos da dançar pelo salão. As pessoas que não estavam dançando batiam palmas pra eles, que não se importavam com isso e sorriam junto com os outros pares de casais. Os olhos inocentes há bailar pelo salão acharam o doce casal que dançavam alegrando o salão . E sorrindo de boba a menina de 9 anos irmã de Elizabeth Thâmela falava pra outras crianças que assistiam o baile com ela. ‘”Eita que eu não entendo esses dois na escola brigam muito e aqui ficam tapiando dançando bonito desse jeito” Kkkkk. A molecada riu engraçada ainda estavam aprendendo sobre o maior clichê do amor. Humberto Filho 09/11/2017

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Crônica: da cidade

Crônica: dia das Crianças Feliz dia das crianças Bambinada, a inocência é tão infantil que sorrir de simples de vé a beleza do Sol. Sabe crianças dias desses uma cria da sua espécie estava aprendendo a sorrir, quem ensinou foi a Mãe: - Ri José! assim dizia a mulher depois dava uma farta gargalhada e o Menino ria tão gostoso que os cachos amarelos de seus cabelos brilhavam mesmo debaixo das luzes artificias da noite. Saber crianças a vida é linda crescer é um processo que infelizmente vocês terão que continuar. OXÉ! Tou falando leseira! Na terra da alegria; criançada bora solta pipa é tão bom, mais cuidado, com os carros, as vezes um moi de pequerruchos correm desembestados atrás da pipa que se solta pelo ar , depois do combate. Molecada a bica ta cheia de bicho tem intem; leão, macaco e elefante. Gente pequena quando forem a praia não façam buracos muitos grandes na areia por que ser quiserem podem seca o mar colocando a agua dentro do buraco. Mais , mais do que tudo amem Painho e Mainha, que numa simplicidade de vida vivem feitos crianças para amar e crescer a cria que deram ao mundo. Humberto Filho 12/10/2017